CARLOS CASTELEIRA
Com formação em ótica e em fotografia, Carlos Casteleira vive em França desde os anos 70. É professor na Escola Superior de Arte de Aix-en-Provence desde 1995. Enquanto agente de ação cultural, trabalhou com a comunidade portuguesa do sul de França, (“Ser e Estar” 1995 – éd. Créaphis). Trabalhou ainda com outras populações (no Burkina Faso e na Ilha da Reunião, no Brasil, Cabo Verde e Moçambique), mas é em Portugal que tem mais interesses. Curador na edição de 2011 da Bienal de Cerveira, tem sido convidado a participar nas edições posteriores.
Participou em residências artísticas em Guimarães (Capital Europeia da Cultura, 2012) e em Vila Nova de Cerveira (2013), organizou várias visitas de estudo de estudantes franceses ao Brasil e a Portugal. Dedica-se a realização de projetos artísticos ligados ao meio ambiente e a paisagem.
MANUELA PIRES DA FONSECA
Engenheira Silvicultora com mestrado em Gestão de Recursos Naturais e um doutoramento em Ecologia do Comportamento, Manuela Pires da Fonseca trabalhou 10 anos no meio académico, investigando questões ligadas à conservação da biodiversidade. Seguiram-se, em resposta ao seu interesse pelo terceiro setor, 8 anos ao serviço da organização Médicos do Mundo, tendo-se em especial interessado pela promoção do bem estar das populações rurais mais empobrecidas. Desde 2015 é responsável pela formação na Casa Morgado do Esporão, uma residência para as Artes, as Ciências e as Humanidades na cidade de Évora. Durante 20 anos trabalhou voluntariamente numa associação cultural de âmbito nacional, introduzindo boas práticas ambientais e sociais na organização de eventos artísticos.